Total de visualizações de página

domingo, 30 de dezembro de 2012

Quando




Quando não há nada mais a ser dito, silencia.
Quando não há mais nada a ser feito, permitas apenas ser, apenas estar e fica na companhia do teu coração e este indicará o momento apropriado para agires.
Quando a lentidão dos dias acomodar tua vontade, enlaçando-te com os nós da intranquilidade, descansa e refaz tua energia.
Não há pressa, a prioridade é que tu encontres novamente a tua essência para que tenhas presente em ti a alegria de ser e estar.
Quando o vazio instalar-se em teu peito, dando-te a sensação de angústia e esgotamento, repara tua atenção e encontra em ti mesmo a compreensão para este estado.
É necessário descobrirmo-nos em tais estados, para que estes não se transformem no desconhecido, no incontrolável.
Tudo pode ser mudado, existe sempre uma nova escolha para qualquer opção errada que tenhas feito.
Quando ouvires do teu coração que não há nenhuma necessidade em te preocupares com a vida, saibas que ele apenas quer que compreendas que nada é tão sério a ponto de te perderes para sempre da tua divindade, ficando condenado a não ver mais a luz que é tua por natureza.
Não te preocupes, se estiveres atento a ti mesmo verás que a sabedoria milenar está contigo, conduzindo-te momento a momento àquilo que realmente necessitas viver.
Confia e vai em teu caminho de paz.Nada é mais gratificante que ver alguém submergindo da escuridão apenas por haver acreditado na existência da luz.
Ela sempre esteve presente...
Era só abrir os olhos...



Aprenda a amar-se


Você já reparou que por vezes queremos abraçar o mundo, quando na verdade não conseguimos abraçar a nós mesmos? Qual foi a última vez que você se abraçou?Queremos cuidar de todos, quando não conseguimos, ou não sabemos, cuidar de nós e nem daqueles que amamos. Porque quando não recebemos amor e atenção de nossos genitores da forma que desejávamos quando crianças, passamos a vida em busca deste amor em forma de reconhecimento e aprovação.
Esperamos sempre, consciente ou inconscientemente, que alguém reconheça nosso valor, e quando não acontece, perdemos nosso referencial interno e também, nossa auto-estima. Esperamos aprovação pelo que fazemos e acima de tudo, pelo que somos e realizamos. E quando não somos reconhecidos, principalmente por pessoas significativas, deixamos de acreditar em nossa capacidade.
Assim, passamos a buscar amor sempre no outro e nunca dentro de nós. Esquecemos o quanto é essencial aprendermos a nos amar. Em alguns momentos perdemos nosso amor-próprio e com ele nossa confiança. Por isso a opinião dos outros se torna tão importante. Quantas vezes você disse a si mesmo do seu próprio amor? Quantas vezes você disse que se ama? Nunca? Pode ser! Mas nunca é tarde para começar.
Do mesmo modo que nosso físico precisa de água e alimento, nossas emoções também precisam ser alimentadas. Mas estamos sempre esperando que o outro nos ame, nos abrace, que reconheça nosso valor, demonstre o quanto somos importantes, pois não nos sentimos capazes. Por que não nos amamos? Não nos aprovamos? Não nos sentimos importantes? Já pensou que se não nutrirmos estes sentimentos por nós mesmos, como podemos esperar que alguém o faça, e ainda mais, que faça melhor que nós? Por que desprezamos tanto nossa capacidade? Já pensou sobre isso?
É preciso aprender a identificar cada sentimento, sabendo o que sente e depois respeitar estes mesmos sentimentos e não desprezá-los. Não nos respeitamos e depois reclamamos que os outros não nos respeitam. Quantas vezes você sentiu algo e ignorou este sentimento para você mesmo?
Muitas vezes isto acontece porque durante a vida, as pessoas tidas como significativas, ignoraram suas reais necessidades emocionais e, com o tempo, você aprendeu a fazer o mesmo. Por que desprezaram sua dor, você vai fazer igual? Pare com esse círculo vicioso. Olhe para dentro de você. Não como quem olha no espelho, superficialmente e tentando encontrar algum defeito. Porque até neste momento a imagem refletida é invertida.
Olhe de verdade para dentro de seu ser, de sua alma. Deixe o medo de lado. Ele não permite que você cresça. Enfrente-o e acredite que irá descobrir muitas qualidades que talvez ninguém reconheça, mas que há dentro de você. E se encontrar defeitos, quem não os têm? Olhe para eles com carinho, para mudar cada um, se quiser.
Transforme este momento no que podemos chamar verdadeiramente de crescimento, evolução. Liberte-se das necessidades não supridas de amor, aprovação, reconhecimento e saiba que só você pode se aprovar. Aprenda a se abraçar, se respeitar, se aceitar, se amar. Dê a si mesmo todo o amor que espera receber de alguém, pois só assim você poderá ser realmente amado e amar. Liberte-se das culpas, perdoe e perdoe-se! Liberte-se também das mágoas e dos ressentimentos do passado que só aprisionam e machucam tanto.
Agora fique com as mãos livres e faça o seguinte exercício: coloque sua mão direita sobre seu braço esquerdo e sua mão esquerda sobre seu braço direito. Pronto! Você está aprendendo a se abraçar. Abrace-se com carinho, fale do quanto você é capaz, do quanto você pode conquistar com seus próprios méritos. Fale do quanto acredita em você e, principalmente, do quanto você se ama. Fale que a partir de agora, só você mesmo pode aprovar ou não o que faz. Se ninguém o ama, você se ama. Se ninguém vibra com suas conquistas, você, mais do que ninguém passará a valorizar e a celebrar cada uma delas.
Não espere mais que o "outro" venha te salvar, venha te aprovar e reconhecer tudo de bom que faz. Pare de colocar sua vida e seus sentimentos, que é tudo que você tem de mais valioso, nas mãos de alguém. É claro que você pode dividir tudo isso com alguém muito especial e que o ame muito. Do contrário, guarde tudo só para você.
Agora olhe para dentro de você, sem medo, para que possa se descobrir. Perceba sua essência, deixe brilhar sua luz. Só assim você encontrará paz e poderá valorizar sua maior dádiva: sua vida neste momento presente! Afinal, o passado já se foi... e o amanhã, ah, o amanhã! Quem saberá? Por isso, a hora de começar é agora, faça seu melhor já! Comece irradiando amor. Primeiro por você, depois contagie aqueles que ama.
Por:
Rosemeire Zago
Psicóloga clínica com abordagem jungiana, especialização em psicossomática. Desenvolve o autoconhecimento e ministra palestras motivacionais. Contato: (011) 9950-5095


O VALOR DA COOPERAÇÃO ENTRE OS SERES HUMANOS






"O VALOR DA COOPERAÇÃO ENTRE OS SERES HUMANOS"


Há uma pequena história, muito antiga, que nos ajuda a entender a fragilidade dos seres humanos, sua necessidade de cooperar e, sobretudo, o quanto dependemos uns dos outros.

Na mitologia grega, os deuses resolveram habitar o mundo e criar a humanidade. Criaram os mortais, os seres vivos, e também as condições para a existência de todas as espécies que iriam coabitar na Terra. Encarregaram EPITEMEU, cujo nome significa: "reflexão posterior", ou seja, aquele que só se dá conta da coisa errada depois que a fez, de prover os futuros seres vivos com qualidades necessárias à  sua sobrevivência. Assim, foram dados a cada espécie os equipamentos necessários para que se alimentassem e resistissem às intempéries, como: peles, lã, carapaça, etc...e ainda para para se defender uns dos outros: garras, chifres e velocidade na corrida.

Todas as espécies foram equipadas, mas no momento de criar o homem, nada havia sobrado, EPIMETEU tinha se esquecido dele e, assim, o homem continuava nu e desarmado. Para que essa espécie não desaparecesse, PROMETEU, cujo nome significa "previdente", foi chamado pelo imprevidente irmão, EPIMETEU, e encarregou-se de roubar dos deuses o fogo e as artes, para dá-las aos homens. Distribuiu as artes de que dispunha, mas que não eram suficientes em número para dar um conjunto completo a todos os homens e assim, deu talentos diferentes a cada um de modo que, para sobreviverem, deveriam intercambiar suas dádivas e, portanto COOPERAR.

Resultou é que todos se tornaram dependentes uns dos outros. PROMETEU também moldou os homens de forma mais nobre e os capacitou a caminhar de forma ereta. Desse modo, puderam se alimentar e resistir ao frio, mas continuaram não podendo se defender contra outras espécies, por não possuírem armas. Mas o presente do fogo que PROMETEU deu à humanidade foi mais valioso do que quaisquer um dos que haviam sido dados aos animais.

Os homens procuraram então estar reunidos para se defender dos animais e se agruparam em cidades, mas não conseguiram viver juntos porque disputavam entre si e frequentemene guerreavam uns vontra os outros. Como consequência, dispersaram-se pela floresta e foram novamente ameaçados de extinção pelas outras espécies de animais. Dessa vez, foi o próprio ZEUS, o deus mitológico maior, que salvou os homens dotando-os de qualidades morais, de senso de justiça e de respeito de si mesmo, o que permitiu que cada um pudesse viver em COLETIVIDADE com os outros.

O gênero humano foi salvo e por isso hoje os homens vivem em comunidade e não isolados, como a maioria dos outros animais. Mas os homens continuaram frágeis e desamparados; é isso que somos e nossa sobrevivência continua dependendo de que troquemos nossas dádivas, nossas riquesas interiores.

REFLEXÃO:

A vida é difícil. Encontrar o caminho que se vai trilhar na vida é difícil. O caminho tem que ser feito em solo árido e pedregoso, e machuca; não há indicações nem avisos, nenhuma orientação. Em realidade, cada um de nós faz seu próprio caminho ao longo da vida e o caminho é feito tão somente ao caminhar. Mas a boa notícia é que não temos que fazer o caminho sozinhos e podemos recorrer a um poder maior, que nos dá força e do qual a maioria das pessoas tem consciência.

Ainda mais, na medida em que vamos fazendo o nosso caminho, podemos nos ajudar uns aos outros, intercambiar os talentos que recebemos. Podemos trocar nossas riquezas interiores; trocar experiências, forças e esperanças; COOPERAR UNS COM OS OUTROS; ser tolerantes; ser solidários e desenvolver o AMOR AO PRÓXIMO; nos compadecer e entender que somos irmãos. Assim, Ele não estará apenas no meio de nós, como que espalhado num grupo de seres humanos, mas, entre nós, presente a partir do nosso relacionamento fraterno.

Então, teremos condições de vislumbrar o caminho e encontrar a coragem para trilhá-lo. Como não é possível simplificar as coisas  e obter respostas fáceis, é preciso pensar de modo abrangente, aceitar os mistérios e os paradoxos da vida e não desanimar ante a multidão de causas e consequências que são inerentes a cada experiência humana. Enfim, aceitar e valorizar o fato de que a vida é complexa. 

Obs: Trecho do artigo:"Uma pequena história dentro de uma grande história", do autor: Dr. Lais Marques da Silva e foi retirado da Revista Brasileira de Alcoólicos Anônimos - "VIVÊNCIA", ano 26, número 06, meses de: novembro-dezembro/2011, Edição nº 134, páginas:46, 47, 48 e 49.

Visite os sites:
www.alcoolicosanonimos.org.br
www.revistavivencia.org.br

Extraído do site: http://professoraanglica.blogspot.com.br/2012/08/o-valor-da-cooperacao-entre-os-seres.html

Feliz Ano Novo


Faça desse Ano Novo, realmente um Novo Ano em sua Vida, 
viva-o cada dia desse Ano Novo como um Dia Novo, 
com todos os sentimentos de uma Nova Vida,
 Vida de Amor, Paz, Bondade, Carinho, Amizade, 
Alegria de fazer alguém Feliz e muita Fé, 
e que todos os Novos Dias de sua Nova Vida, 
você acorde com todos esses sentimentos impregnados em seu coração e mente,
 seja uma Nova Pessoa, 
seja parte do Novo Mundo, 
seja o Novo Mundo, 
Novo Mundo que está completando 2013 Anos


Rubens B. Nunes

FELIZ ANO NOVO!!! Feliz Olhar novo.






FELIZ ANO NOVO!!!

O grande barato da vida é olhar para trás e sentir orgulho da sua história.
O grande lance é viver cada momento como se a receita da felicidade fosse o AQUI e o AGORA.
Chorar de dor, de solidão, de tristeza, faz parte do ser humano.
Não adianta lutar contra isso.
Mas se a gente se entende e permite olhar o outro e o mundo com generosidade, 
as coisas ficam diferentes. 
Desejo para todo mundo esse olhar especial.

2013 pode ser um ano especial, muito legal,
se entendermos nossas fragilidades e egoísmos e dermos a volta nisso. 
Somos fracos, mas podemos melhorar. Somos egoístas, mas podemos entender o outro. 

Feliz olhar novo!!!
Que a virada do ano não seja somente uma data, 
mas um momento para repensarmos tudo o que fizemos e que desejamos, 
afinal sonhos e desejos podem se tornar realidade somente se fizermos justo e acreditarmos neles!



Feliz Ano Novo



Desejo que neste ano novo que se inicia:

"...se for pra fazer guerra, que seja de travesseiro.
Se for pra ter solidão, que seja no chuveiro.
Se for pra perder, que seja o medo.
Se for pra mentir, que seja a idade.
Se for pra matar, que seja a saudade.

Se for pra morrer, que seja de amor.
Se for pra tirar de alguém, que seja sua dor.
Se for pra ir embora, que seja a tristeza.

Se for pra chorar um dia, que seja de alegria.
Se for pra cair, que seja na folia.
Se for pra bater, que seja um bolo.
Se for pra roubar, que seja um bolo.
Se for pra matar, que seja de desejo."


sábado, 29 de dezembro de 2012

Cinco maiores arrependimentos antes de morrer

Sobre a Morte -pensar e sentir.



“A morte é o nosso melhor mestre espiritual.
Ela nos ensina a viver, quando chega sem aviso e desafia nossos apegos.
Ela nos revela a verdade sobre a impermanência e o limite do nosso livre-arbítrio.
Amedronta, mas ao mesmo tempo acorda.
É o melhor espelho para definir prioridades e o melhor antídoto para reduzir egos exacerbados ao seu tamanho normal.
Tem gente que diz que só quer saber da vida e não da morte.Qual é a diferença?
Viver é caminhar para a morte! Então ela faz parte da vida.
Fugir da realidade da morte é entorpecer a vida com ilusões insanas e perder tempo com o que nunca vai preencher.
Encarar a realidade da morte é encontrar urgência de viver.
É saber aproveitar o momento e não adiar mais o que é importante e precisa ser feito.
É sair do torpor maquinal do dia a dia e parar para sentir-se.
É transformar o medo em aventura e começar a fazer perguntas sábias e ousadas.
É procurar saber quem você realmente é e esperar encontrar as respostas no silêncio.
E a partir daí, cair na real e viver intensamente.”

A. Racily

EU sei...


"Eu sei que todos os dias quando eu acordo Deus dá um sorriso e me diz: Estou te dando a chance de tentar de novo."

                                                               Caio Fernando Abreu


Amar o Amor.






"Eu estou dominado pelo amor,
Pela minha paixão de amor por amor."

- Rumi






Teste o seu nível de maledicência


Teste sua maledicência.

FAÇA SEU PRÓPRIO TESTE:

“EU E A MALEDICÊNCIA” (extraído do Jornal “O Trevo”, de julho/78. Autoria de Ney Prieto Peres)

1) Ao surgir, numa conversa, comentários sobre um deslize de alguém, você se interessa em ouvir?

QUAL A SUA ATITUDE?

(0)faz perguntas (5)ouve apenas (10)corta a conversa
2) Ao saber de uma infidelidade de parente ou pessoa amiga, apressa-se em levar a notícia adiante?

QUAL A SUA ATITUDE?

(0)comenta com outros (5)pensa em falar, mas silencia (10)pondera e cala
3) Acha divertido e participa animadamente das fofocas entre amigos(as)?

QUAL A SUA ATITUDE?

(0)participa contribuindo (5)apenas ouve e ri (10)evita as fofocas
4) Escandaliza-se ao saber de ocorrências escabrosas envolvendo pessoas conhecidas?

QUAL A SUA ATITUDE?

(0)arregala os olhos e exclama (5)comenta com outros (10)não se envolve e silencia
5) Sente-se atraído(a) pelas conversas ou notícias sobre desastres e crimes passionais?

QUAL A SUA ATITUDE?

(0)busca avidamente (5)apenas ouve e lê (10)evita ouvir e ler
6) Comenta com outros os defeitos de alguém por quem sente qualquer antipatia?

QUAL A SUA ATITUDE?

(0)acentua os defeitos (5)não chega a comentar (10)evita ver os defeitos
7) Sente, às vezes, incontrolável impulso, e deixa transparecer a outros um assunto reservado, confiado por pessoa de sua intimidade?

QUAL A SUA ATITUDE?

(0)não resiste e fala (5)apenas sente vontade de falar (10)nem sente vontade nem fala
8) Dá ouvidos a conversas sobre problemas causados por companheiros, no âmbito do centro espírita em que colabora?

QUAL A SUA ATITUDE?

(0)comenta e dá ouvidos (5)ouve e silencia (10)pondera com tolerância
9) Alguém lhe diz “não gosto de fulano”, “beltrano é mal encarado e presunçoso”. Tendo oportunidade, você conta à pessoa em questão o que ouviu?

QUAL A SUA ATITUDE?

(0)não resiste e transmite o que soube (5)apenas sente vontade de contar (10) não conta
10) Usa, por vezes, expressões do tipo: “aquele cara é um chato”, “veja o que beltrano me fez”, “fulano só quer ser o bom”, etc.?

QUAL A SUA ATITUDE?

(0)não resiste e comenta a sua opinião (5)tem sua opinião mas não comenta da pessoa (10)procura ver o lado bom
AVALIE-SE COMO SEGUE:

Adicione as pontuações que estão dentro dos parênteses que você assinalou.

Chegue à soma.

Veja o resultado:

De 90 a 100 pontos: muito bom, excelente resultado.

De 70 a 89 pontos: bom, mas deve se cuidar.

De 40 a 69 pontos: sofrível, lute bastante.

De 0 a 39 pontos: sem comentários, esforce-se ao máximo

Extraído do Jornal “O Trevo”, de julho/78. Autoria de Ney Prieto Peres.


Razão para o calor.


Oração Celta

Oração Celta

Que jamais, em tempo algum, o teu coração acalente ódio.
Que o canto da maturidade jamais asfixie a tua criança interior.
Que o teu sorriso seja sempre verdadeiro.
Que as perdas do teu caminho sejam sempre
Encaradas como lições de vida.
Que a música seja tua companheira
De momentos secretos contigo mesmo.
Que os teus momentos de amor contenham a magia de tua alma eterna
Que os teus olhos sejam dois sóis
Olhando a luz da vida em cada amanhecer.
Que cada dia seja um novo recomeço, onde tua alma dance na luz.
Que em cada passo teu fiquem marcas luminosas
De tua passagem em cada coração.
Que em cada amigo o teu coração faça festa, que celebre o canto da
Amizade profunda que liga as almas afins.
Que em teus momentos de solidão e cansaço,
Esteja sempre presente em teu coração a lembrança de que tudo passa E se transforma,
Quando a alma é Grande e generosa.
Que o teu coração voe contente nas asas da espiritualidade consciente,
Para que tu percebas a ternura invisível,
Tocando o centro do teu ser eterno.
Que um suave acalento te acompanhe,
Na terra ou no espaço, e por onde
Quer que o imanente invisível leve o teu viver.
Que o teu coração sinta a presença secreta do inefável!
Que os teus pensamentos e os teus amores,
O teu viver e a tua passagem pela vida,
Sejam sempre abençoados por aquele amor que ama sem nome.
Aquele amor que não se explica, só se sente.
Que esse amor seja o teu acalento secreto, viajando eternamente
No Centro do teu ser.
Que este amor transforme os teus dramas em luz,
A tua tristeza em celebração, e
Os teus passos cansados em alegres passos de dança renovadora.
Que jamais, em tempo algum, tu esqueças
Da presença que está em ti e em
Todos os seres.
Que o teu viver seja pleno de
Paz e Luz!

quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

Diálogo - discordar sem dissentir.




Dai-me Senhor um coração cheio de paz e compreensão para aprender a lidar com pessoas que só sabem ouvir a si mesmas e a suas verdades. Encasteladas em sua presunção e arrogância não te dão espaço nem para você esclarecer as questões. 

Do

nas da verdade sobre o outro, sobre a vida e o que movem as pessoas, cheios de apriorismos fecham questão, influenciam terceiros, principalmente se for através do medo, (os pastores que o digam) e fossilizados, ainda que você fale, não te escutam. E, sem nunca terem realmente te ouvido, muitas vezes te chamam de repetitivo, pelo simples fato, de você, OUSAR rebater as ideias “verdadeiras” delas. E, o máximo que te concedem é o riso orgulhoso de seu ego inflado.
Fechadas, só ouvem a si mesmas.

Não percebendo que ninguém é detentor da verdade absoluta e toda circunstância cabe outras interpretações.
Uma pena. Condenar é fácil, julgar apressado através de lentes obscurecidas então? Há quanto tempo não fazemos isso?

Duvidar de si mesmo, chave número um contra o auto engano e consequentemente para o autoconhecimento. Sem autoconhecimento como entender o outro em todas as suas facetas? Como não cair nas armadilhas fáceis dos assediadores que criam grades mentais impedindo-nos de enxergar suas articulações ardilosas? Tem como?

Sim, ouvir o outro, não fugir ao diálogo, ao entendimento. Discutir racionalmente, sem gritos ou alterações, estando aberto para a possibilidade do outro ter motivações ou opiniões diferentes da dele. Mesmo que não mude de opinião, demonstra agindo assim, sensatez, convivialidade, mente aberta e disposta a entender e resolver os conflitos de opinião.

Como um curso como o de história enriquece a alma, nos dá simplicidade e nos ensina a ouvir outras possibilidades. A mente fechada é filha do orgulho. O orgulho é um péssimo guia para qualquer decisão, sempre.
Conviver com o diferente é também estar atento as percepções que o outro tem da realidade, ainda que isso contrarie suas verdades estabelecidas, as suas impressões moralistas fossilizadas, as suas maldades pré-concebidas, a sua arrogância de dono da verdade.

Só estando aberto para o diferente, aberto para a opinião diferente, para entender as nuances, os objetivos e as circunstâncias, só assim uma pessoa pode crescer.

Por isso para ser um profissional da psicologia a pessoa precisa aprender a ouvir. Não se faz terapia atirando na cara do outro seus achismos pessoais, sem saber o contexto, as energias, as nuances, as coincidências, só aprendendo a ouvir um profissional pode diagnosticar o outro. Precisa se esvaziar do jogo fechado de suas impressões pessoais, de seus ciúmes, bloqueios, recalques e principalmente ser transparente em todas as suas intenções, transparente consigo mesmo. É realmente o desejo de ajudar que move minhas opiniões?

É imprescindível, para que a ação ou opinião esteja clara, que a pessoa se confronte, dado a nossa tendência de apenas nos agarrar ao nosso orgulho e confrontar o outro e não a nós mesmos. Jogar o outro aos leões, condenar, julgar, disputar, ter raiva do outro apenas por que ele não age conforme os padrões que a hipocrisia humana dita....

Eu não sou obrigado a concordar com o ponto de vista do outro, mas eu preciso saber qual é o ponto de vista do outro primeiro para refutar, se nego, a priori, isso é dogmatismo ou pior, se achando melhor, mais sábio, mais inteligente que o outro, a pessoa presa aos apriorismos só vê no outro o mal.

Daí as ações precipitadas de todos os tempos que tanto fizeram mal na história.

Por isso amizade sincera é tão rara hoje em dia. Não existe amizade onde não existe empatia. Falar suas verdades é muito bom, mas será que se eu só tenho boca e não tenho ouvidos, é sinal de que eu tenho a verdade?

Se não estou aberto paras ouvir as diversas versões, possibilidades, opiniões, não está esse ato demonstrando intenções ocultas, às vezes inconscientes até para si mesmo?

Eu estou falando a Verdade ou apenas projetando minhas sombras no outro?
Sem transparência para si mesmo, jamais conseguiremos ter mente aberta suficiente para entender o outro e se for o caso, ajudá-lo, conviver com ele ou construir um trabalho com ele. Uma pena, quantas pessoas foram massacradas, queimadas, enforcadas, discriminadas, escorraçadas, ao longo da história, simplesmente por que os que assim fizeram com elas estavam aprisionadas em sua visão de mundo limitada, mas agressiva.

Fazer o que? Cada cabeça um Universo.

Dai-nos Senhor um coração aberto para aceitar com simplicidade as pessoas do jeito que são, discordar sem dissentir. para que, mesmo discordando possamos caminhar juntos, pois conviver com o diferente, é imprescindível para quem ambiciona vivenciar a Fraternidade Universal.









Aurora Boreal - Noruega

In The Land Of The Northern Lights from Ole C. Salomonsen on Vimeo.




As Ondinas- espírito da natureza.

As Ondinas- espírito da natureza.


Os Elementais são seres singulares e misteriosos, multiformes, invisíveis, sempre 

presentes em todas as atividades da Natureza, além do plano físico. São veículos da 
Vontade Criadora, potencializadores 
das forças, leis e processos naturais. Sua
existência é constatada por muitos e ignorada pela maioria.

Geralmente são controlados e conduzidos em grupo, tendo mais ou menos consciência, dependendo do seu nível evolutivo.

Os povos antigos se referiram a eles no passado, e milhares os viram e ainda os vêem,
quando são videntes, ou quando exteriorizados do corpo físico; e farta é a literatura
espiritualista que os noticia; e, no próprio Espiritismo, há referências sobre eles, que
são, aliás, figuras vivas e familiares a muitos médiuns videntes e de desdobramento.
Em geral, para observá-los há a necessidade de uma fito-convivialidade ou seja, uma interação harmoniosa com a natureza, daí que aos clarividentes vegetarianos é mais fácil a sintonia com o reino elemental, ou pelo menos observá-los.


"Possuem um metabolismo intra-luminoso de grande velocidade; são transmissores de
energias espiritualizantes para as substâncias dos planos inferiores da Natureza, no
campo físico, e formadores das grandes correntes de energia reduzida, que utilizam
como espíritos da Natureza."
"Os mundos etéreos, onde se manifestam, são formados de matéria rarefeita de maior
ou menor densidade."
Formam várias classes, cada uma delas com seus próprios habitantes, nos próprios
planos, todos se interpenetrando, como no arco-íris, isto é: os de menor densidade
interpenetrando os de densidade mais pesada.

São seres em início de evolução.
Encontram-se em toda parte: na superfície da terra, na atmosfera, nas águas, nas
profundidades da sub-crosta, junto ao elemento ígneo. Invisíveis aos olhares
humanos, executam infatigável e obscuramente um trabalho imenso, nos mais
variados aspectos, nos reinos da Natureza, junto aos minerais, aos vegetais, aos
animais e aos homens.
"A forma desses seres é muitíssimo variada, mas quase sempre aproximada da forma
humana. O rosto é pouco visível, ofuscado quase sempre pelo resplendor energético
colorido que o envolve."

São embriões de mentes humanas. Encarnarão primeiro entre os
selvagens. Apresentam já esse condicionamento na sua união com os elementos da
Natureza e no fato de se esquivarem ao contato do homem preferindo a solidão dos
ambientes silvestres. Como estacionam em nível elementar de evolução mental,
recuam diante do desconhecido até que lhes capte a confiança e então tornam-se
totalmente submissos, sem capacidade de discernir numa orientação própria. Não
conseguem sobrepor-se à mente mais poderosa que os comanda. Por isso há homens
conhecedores dos mistérios do pensamento e da vontade que influem e dirigem os
elementais para alcançar propósitos pessoais. Desejamos alertá-los para o fato de
que estes seres possuem a capacidade de formar hábitos e não se conformarão
facilmente em modificá-los se seus irmãos mais desenvolvidos habituarem-nos a
determinadas práticas. A responsabilidade de quem dirige seus poderes mentais é
enorme e carregará consigo o séquito de de seus colaboradores, suportando-lhes as
tendências, que ele próprio se incumbiu de alimentar.

Os espíritos da natureza, em geral são comandados pelo que na tradição oriental costumou-se denominar de Devas. (anjos), são espíritos de níveis diferenciados, sempre nobres, que coordenam seus movimentos e cuidam de seu processo evolutivo. Fazendo que estes elementais da natureza usem de seus processo interativo de uma forma pró- evolução.

Os magos são Àqueles que justamente, ao longo mde muitas vidas conseguiram interagir com esse reino da natureza. Hoje, sabemos que não há necessidade desse saber, na medida que espíritos devas- coordenadores evolutivos dos elementais - é que de fato coordenam os processos de limpeza e reurbanização espiritual. Esses devas poderão se r chamados de diferentes nomes , segundo a tradição espiritual ou religiosa de cada povo ou pessoa.

as Ondinas, os elementais da água, funcionam na essência invisível e espiritual chamada éter úmido. A beleza parece ser uma característica comum dos espíritos da água. Onde quer que as encontremos representadas na arte e na escultura, são sempre cheias de graça e simetria. Controlando o elemento água - que sempre foi um símbolo feminino – é natural que os espíritos da água sejam com mais freqüência simbolizados como fêmeas. Existem muitos grupos de Ondinas. Algumas habitam cataratas, onde podem ser vistas entre os vapores; algumas, vivem nos riachos, nas fontes, no orvalho das folhas sobre as águas e nos musgos; outras tem o seu habitat nos pântanos, charcos e brejos, entretanto outras, ainda, vivem em claros lagos de montanha. Em geral quase todas as ondinas se parecem com seres humanos na forma e tamanho, embora aquelas que habitam os rios e fontes tenham proporções menores. Normalmente elas vivem em cavernas de corais ou nos juncais à margem dos rios ou das praias.

São utilizadas pelos espíritos -mentores na higienização de ambientes,limpeza, desobstrução e desassédio e desbloqueio. Trazem as energias do mar para curas e refazimento psíquico. Mas o contato é sempre com um falangeiro que cuida desse aspecto da energia da natureza. Magos brancos antigos que cuidam do processo evolutivo desse reino ou que aprenderam ao longo dos séculos a lidar com os mesmos de forma evolutiva e benéfica para a economia espiritual planetária.

Meditar em Deus



Lembre-se: melhor do que um milhão de raciocínios é sentar-se e meditar em Deus até sentir tranquilidade interior. Então, diga ao Senhor: “Eu não posso resolver meu problema sozinho, mesmo que eu tenha um número incalculável de pensamentos diferentes, mas posso resolvê-lo colocando-o em Tuas mãos, pedindo primeiro a Tua orientação e, em seguida, analisando-o sob vários ângulos, buscando uma possível solução”. Deus ajuda aqueles que se ajudam. Quando sua mente estiver tranquila e cheia de fé, após orar a Deus em meditação, você será capaz de ver várias respostas para os seus problemas. E, porque sua mente se acalmou, é também capaz de escolher a melhor solução. Siga essa orientação e terá êxito. Isso é aplicar a ciência da religião na sua vida diária.

Paramahansa Yogananda, Onde Existe Luz


Amor de mãe

Impressionante. A Leoa foi lá embaixo e buscou o leãozinho pela boca. Ave Mães pela Eternidade À fora. Ave Vida.


Que tudo ocorra como tenha que acontecer.

“De todas as coisas que existem, algumas estão ao nosso alcance, e outras não. Estão ao nosso alcance: o pensamento, os impulsos, o querer e o não querer – em uma palavra, tudo aquilo cujo resultado são nossas próprias ações.
Mas existem coisas que surgem sem que possamos interferir. Neste caso, é preciso saber olhar – com sabedoria – o que se passa. O que perturba o espírito do homem não são os
fatos, mas o julgamento que fazem a respeito dos mesmos.
Não peça que tudo na sua vida siga o caminho de sua vontade.
Reze para que as coisas aconteçam como elas precisam acontecer – e verá que tudo é muito melhor do que você estava esperando."
Epicteto

Três pensamentos de três grandes seres humanos

''Só existem dois dias no ano que nada pode ser feito. Um se chama ontem e o outro se chama amanhã, portanto hoje é o dia certo para amar, acreditar, fazer e principalmente viver.'' Dalai Lama 

''Pouca coisa é necessária para transformar 

inteiramente uma vida: amor no coração e sorriso nos lábios.'' Martin Luther King Jr. Quotes

''Sonho com o dia em que todos levantar-se-ão e compreenderão que foram feitos para viverem como irmãos.'' Nelson Mandela

Wonderful Africa Chill Out Music

Rita Ribeiro - É D'Oxum - DVD Tecnomacumba

Sunflower Toninho Horta








Maravilhoso. Embarque nessa onda. Banhos de lua, banhos de sol.
Anima e Animus.
Banho de verde, de brisa e de montanha.
Expansão Consciencial nessa Lua.
Saia Rendada, palmas, fogueira e mar.
SOns Astrais, pirilampos, bichos grilos e paz no ar...

MAravilhoso, maravilhar-se, impregnar-se e xpandir.

Abra. NãoFeche, mergulhe e sorria.
Desencana bicho...

O NOME DE DEUS

O NOME DE DEUS
Hélio Schwartsman - Folha de S. Paulo.

SÃO PAULO - Num ponto eu e a CNBB estamos de acordo: há coisas mais essenciais com as quais se preocupar do que o dito "Deus seja louvado" nas cédulas de real. Ainda assim, vejo co
m simpatia o pedido do Ministério Público para que a expressão seja retirada das notas.

Sou ateu, mas convivo bem com diferenças. Se a religião torna um sujeito feliz, minha recomendação para ele é que se entregue de corpo e alma. O mesmo vale para quem curte esportes, meditação e literatura. Cada qual deve procurar aquilo que o satisfaz, seja no plano físico ou espiritual. Desde que a busca não cause mal a terceiros, tudo é permitido.

Isso dito, esclareço que não acompanho inteiramente a tese do procurador Jefferson Aparecido Dias de que o "Deus seja louvado" constrange os que cultuam outras divindades ou não creem. Em teoria, isso pode ocorrer, mas, convenhamos, não é um aborrecimento tão grave que coloque em risco a liberdade religiosa ou estorve a vida em sociedade.

Vou além. Embora o laicismo preconize uma separação radical entre Estado e Igreja, na prática, é impossível desligar inteiramente o poder público de elementos religiosos. Não me incomoda, por exemplo, que o governo paulista mantenha o Museu de Arte Sacra ou que financie uma orquestra que executa peças religiosas.

Penso que o "Deus seja louvado" deveria ser retirado por uma razão mais prosaica: cédulas, bem como as paredes de tribunais, não são um lugar adequado para manifestar a adesão a crenças religiosas. Ainda que a maioria da população professe alguma forma de cristianismo, não marcamos o nome de Deus em todos os bens públicos, como se vê pelas placas de trânsito, viaturas policiais etc. E as notas estão mais próximas dessa categoria do que dos museus.

O que me surpreende nessa história é o fato de religiosos não serem os primeiros a protestar pela inclusão do nome de Deus em algo tão profano e mal-afamado como o dinheiro.

♥ TRIBUTO A PAZ - MICHAEL JACKSON - HEAL THE WORLD Cure o Mundo Legendad...

Nataraja Dance

Bodhisattva Dance

Prince Dance Group - India's Got Talent - The Best Show

quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

TERAPIA DO ELOGIO





Arthur Nogueira
(Psicólogo)


Renomados terapeutas que trabalham com famílias,
divulgaram uma recente pesquisa onde nota-se que os
membros das famílias brasileiras estão cada vez mais
frios, não existe mais carinho, não valorizam mais as
qualidades, só se ouvem críticas.
As pessoas estão cada vez mais intolerantes e se
desgastam valorizando os defeitos dos outros. Por isso,
os relacionamentos de hoje não duram.
A ausência de elogio está cada vez mais presente nas
famílias de média e alta renda. Não vemos mais homens
elogiando suas mulheres ou vice-versa, não vemos chefes
elogiando o trabalho de seus subordinados, não vemos
mais pais e filhos se elogiando, amigos, etc.
Só vemos pessoas fúteis valorizando artistas, cantores,
pessoas que usam a imagem para ganhar dinheiro e que,
por conseqüência são pessoas que tem a obrigação de
cuidar do corpo, do rosto.
Essa ausência de elogio tem afetado muito as famílias. A
falta de diálogo em seus lares, o excesso de orgulho
impede que as pessoas digam o que sentem e levam essa
carência para dentro dos consultórios. Acabam com seus
casamentos, acabam procurando em outras pessoas o que
não conseguem dentro de casa.
Vamos começar a valorizar nossas famílias, amigos,
alunos,subordinados. Vamos elogiar o bom profissional, a
boa atitude, a ética, a beleza de nossos parceiros ou
nossas parceiras, o comportamento de nossos filhos.
Vamos observar o que as pessoas gostam. O bom
profissional gosta de ser reconhecido, o bom filho gosta
de ser reconhecido, o bom pai ou a boa mãe gostam de ser
reconhecidos, o bom amigo, a boa dona de casa, a mulher
que se cuida, o homem que se cuida, enfim vivemos numa
sociedade em que um precisa do outro, é impossível um
homem viver sozinho, e os elogios são a motivação na
vida de qualquer pessoa.

Quantas pessoas você poderá fazer feliz hoje elogiando
de alguma forma?

Grande Amizade, Amizade Profunda, Amizade Raríssima..tão fácil citar palavras, o difícil é ser esse amigo...












terça-feira, 4 de dezembro de 2012

AMIZADE RARÍSSIMA



AMIZADE RARÍSSIMA - Waldo Vieira



Definição. A amizade raríssima é o sentimento fiel, recíproco, de afeição, simpatia,
estima ou ternura entre encarnados, de modo elevado e singular, no qual a atração do convívio

mentalsomático,
ou do paracorpo do autodiscernimento, ultrapassa a atração do convívio afetivo comum,
em patamar evolutivo além das ligações por laços de família ou por atração sexual.

Etimologia. O termo amizade vem do idioma Latim Vulgar, amicitas, por amicitia,
“amizade; afeição; simpatia; aliança; pacto”, de amicus, “amigo”. Surgiu no Século XII. O vocábulo
raro deriva do idioma Latim, rarus, “que apresenta intervalos ou interstícios; espaçado; poroso;
esparso; pouco cerrado; pouco denso; ralo”. Apareceu no Século XIV.
Sinonimologia: 1. Amizade singularíssima. 2. Convivialidade raríssima. 3. Personalidade
raríssima.

Fatologia: a amizade raríssima; a amizade de encarnado; o levantamento da qualificação
dos componentes do círculo de amizades; as características da amizade humana raríssima transcendendo
os laços da família consanguínea, da Sexossomatologia, do casamento e do coleguismo
profissional; a atração do convívio mentalsomático ultrapassando a atração do convívio afetivo;

a reciprocidade interassistencial; a reciprocidade dos proveitos da amizade;
a convivência invulgarmente fértil; o exemplo notório; a bagagem autocognitiva peculiar; o especialismo
oportuno; a contribuição proexológica ímpar; os diálogos enriquecedores; as abordagens
incomuns; as argumentações inabituais; o intercâmbio das autexperiências; a complementaridade
de saberes; a aliança traforística; a relação ensino-aprendizagem informal; o incitamento natural
à autorreflexão; o reconhecimento da personalidade pérola-negra no círculo de convivência pessoal;
a participação superespecial na existência intrafísica; o convívio pontual e marcante; o atilamento
evolutivo para aproveitamento máximo do relacionamento singular; a presença inesquecível;
a gratidão íntima pelos momentos de coexistência; os problemas das concessões geográfi


Parafatologia: a amizade de consciex; a autovivência do estado vibracional (EV) profilático;
a sinalética energética e parapsíquica pessoal; a paramizade; as amizades extrafísicas;
a amizade multidimensional; a amizade multiexistencial; a amizade multimilenar; a amizade intermissiva;

a amizade ideal com o evoluciólogo do grupocarma (o coordenador espiritual de um grupo de pessoas); a consolidação da paramizade no
período do Curso Pré encarnatório no extrafísico; os paravínculos(vínculos alicerçados a partir do plano espiritual); a paramizade (amizade além de uma vida, e, sobretudo, alicerçada no mundo espiritual) embasando os autorrevezamentos
multiexistenciais em grupo; as interações bioenergéticas saudáveis e evolutivas; a promoção dos
reencontros de destino pelos amparadores extrafísicos de função.

Principiologia: o princípio da empatia evolutiva; o princípio da inseparabilidade grupocármica;
o princípio de ninguém evoluir sozinho; o princípio da convivialidade sadia; o princípio
da afinidade interconsciencial; o princípio da atração “os afins se atraem”; o princípio da
megafraternidade; o princípio da evolutividade grupal; o princípio das trocas profícuas interníveis
evolutivos; o princípio do exemplarismo pessoal.

Teste. Sob a ótica da Despertologia, é possível à pessoa lúcida interessada testar o próprio
patamar evolutivo, e até a desperticidade(sem assédios, sem obsessões), pelos níveis das amizades. Por isso, o ser humano,
mesmo o pré-desperto, pode observar duas categorias de amizades fundamentais quanto ao relacionamento
interassistencial, aqui dispostas na ordem lógica:
1. Amizade muito comum: baseada na doação pessoal, predominante, de você para
a pessoa carente.
2. Amizade raríssima: baseada na recepção pessoal, predominante, feita por você, dos
potenciais da conscin capazes de enriquecê-lo mentalsomaticamente. Neste caso importa observar
as características ou trafores específicos da conscin, por exemplo: a polimatia, o macrossoma,
a ectoplastia sadia ou a desperticidade interassistenciais.


O TESTE DE AMIZADE, QUANDO AUTOCRÍTICO E REALISTA,
PODE SURPREENDER A PESSOA AO DEMONSTRAR
QUÃO EXÍGUO É O NÚMERO DAS AMIZADES HUMANAS
RARÍSSIMAS SURGIDAS DURANTE TODA A VIDA.


Questionologia. Quantas amizades humanas raríssimas você, leitor ou leitora, já desfrutou
nesta vida? Você conseguiu conservar alguma amizade humana raríssima permanentemente?



Waldo Vieira (semi adaptado do consciencioilogês para o português, por achar que a temática é interessante e criativa e que soma, acrescenta) este verbete não está na íntegra. Quem quiser lê-lo na íntegra digite seu titulo no google que achará os links para o mesmo.


domingo, 25 de novembro de 2012

Mensagem de despedida


Mensagem de despedida

Até aqui viajamos juntos.
Passaram vilas e cidades, cachoeiras e rios, bosques e florestas...
Não faltaram os grandes obstáculos.
Freqüentes foram as cercas, ajudando a transpor abismos...
As subidas e descidas foram realidade sempre presente.
Juntos, percorremos retas, nos apoiamos nas curvas, descobrimos cidades...
Chegou o momento de cada um seguir viagem sozinho...
Que as experiências compartilhadas no percurso até aqui sejam a alavanca para
alcançarmos a alegria de chegar ao destino escolhido por cada um.
A nossa saudade e a nossa esperança de um reencontro no futuro, aos que, por vários
motivos, nos deixaram, seguindo suas escolhas e afinidades.
Aprendi que um Homem só tem direito a olhar outro de cima para baixo
 quando vai ajudá-lo a levantar-se.

Talvez nós tenhamos vivido mil vidas antes desta e em cada uma delas nós nos encontramos.
E talvez a cada vez tenhamos sido forçados a nos separar pelos mesmos motivos.

 O ser humano é assim, nossa vida é assim, nascemos para sentir saudade, nascemos com o estigma da despedida, que bom se pudéssemos carregar para sempre conosco todas as pessoas que em determinadas situações nos foram companheiras, nos fizeram de certa forma felizes, que compartilharam experiências, que dividiram sorrisos, que enxugaram nossas lágrimas.
 Mas, como tudo tem um preço, nada vem de graça, nada é fácil, até porque o fácil não tem gosto, o disponível não nos interessa, nos lançamos na vida tendo a certeza de que é assim, de encontros e despedidas que construímos a nossa história, nossos sonhos, nossas vitórias e conquistas, partindo e chegando, aportando e ancorando da vida das pessoas que tiveram importância no caminho, procurando permanecer de certa forma na lembrança de todos aqueles que nos acompanharam e levando delas só o melhor, que nos servirá de combustível até chegarmos a um novo ponto de chegada ou a uma nova partida.

Nossa vida é assim, percorremos os portos ao longo dela, partindo e chegando, ora alegria, ora decepção, ora sorriso, ora traição, e vamos nos encontrando e nos despedindo...

Prefiro acreditar que não nos dissemos adeus, mas que nos separamos para que o destino nos dê um reencontro feliz

Tudo depende de mim... Charles Chaplin.wmv

Quando me amei de verdade - Charles Chaplin

terça-feira, 20 de novembro de 2012

A canção dos homens





Um momento de lembrança do dia da consciência negra. Esse vídeo maravilhoso trazendo ensinos da mãe África. A arrogância imperialista européia, o eurocentrismo deixou marcas profundas em nossos inconscientes. Daí que tudo que vem da África ficou com o estigma, discriminatório, de inferior, sujo, pecaminoso.

Esquecemos que a forma violenta de lidar com o diferente é apanágio de muitos povos, mas foi chancelado de forma oficial pelo capitalismo como meio de vida. O capitalismo formatou de forma aparentemente definitiva nossa forma para lidar com a nossa vida em sociedade.

E, nós demos as costas a África, a nossa negra ancestralidade, a nossa herança; com isso deixamos escapar possibilidades de crescimento e enriquecimento da alma. COnversando com pessoa amiga, ela me contava de bons momentos que viveu em uma comunidade em que as relações tradicionais africanas criaram vínculos de amizade, fraternidade e família.

E, eu comentei como isso a enriqueceu como ser humano.
De modos que este vídeo traz para nós hábitos e maneiras de lidar com a realidade nos enriquece como seres humanos. Valoriza nossa herança humana. Resgata um conhecimento espiritual, ético e amoroso que perdemos ou o que é pior, nunca tivemos.

Este vídeo deve ser visto com carinho. Valorizado, meditado e naqueles que entenderem sua mensagem os invito a buscarem desde já sua vivência.

Ajam assim agora. Façamos nossa canção e a cantemos. Quem topar me diga, tou dentro. Vamos fazer algo nesse sentido. Intimista mesmo. Cansei de teorias, vamos ver se esse exemplo pega. Vamos pegar os exemplos que enriquecem a alma e vivê-los. Como disse um instrutor espiritual oriental certa vez: " quem ama uma verdade, vive-a".

sexta-feira, 16 de novembro de 2012

POR QUE FICAMOS DOENTES?




POR QUE FICAMOS DOENTES?

Todos nós somos seres animados, temos magnetismo, alma, carisma. Essa força que nos anima é um sopro de vida, uma energia primordial que habita nossos corpos, nos confere vitalidade, movimento, força, ação.

Essa energia já foi ao longo da história e de acordo com os diferentes povos, denominada de vários nomes. Para facilitar, aqui, vamos chamar apenas de força de vida.

Podemos chamar assim porque esse sopro de vida é a força da existência que nos ilumina, nos ativa e faz com que todos os nosso movimentos, sistemas e possibilidades aconteçam. 

Um equipamento elétrico só funciona se ligado na tomada. Um ser vivo, só pode assim ser considerado se estiver recebendo essa força de vida. Nós seres humanos estamos sempre procurando formas de definir Deus, pois bem, essa é mais uma definição: Deus é a força que nos dá vida.

Captamos esse fluxo a todo instante, abundantemente. Você não precisa acionar um botão ou abrir uma torneira para que essa energia lhe abasteça, basta você existir que ela fluirá.

É um tipo de energia sutil, invisível, emanada pelo universo em freqüências muito elevadas. Quando essa força se aproxima da Terra e mais precisamente dos homens, ela se torna um pouco mais densa a fim de encontrar maior compatibilidade com nossas frequências. Poderíamos dizer que essa força se ajusta na sintonia perfeita para alimentar de vida nossos corpos e mentes.

O espírito é quem recebe diretamente essa força de vida. Ele consegue absorver constantemente esse fluxo. Todo espírito possui uma aura, assim como toda lâmpada acesa oferece uma luminosidade que abrange determinada área.

Essa aura é responsável por alimentar o corpo físico, mental e emocional com vitalidade, formando um verdadeiro campo de força, sempre abastecido por essa energia primordial. Esse fluído da vida dança livremente por nosso campo energético, abastece os chácras e os nadis, e por conseqüência energiza todas as funções orgânicas do corpo físico. Dessa forma a vida acontece, organiza e mantém a fisiologia de nossos corpos.

Fazendo uma analogia, vamos imaginar que o corpo físico de uma pessoa é um motor e a força vital é o seu combustível. Todo motor necessita do combustível ideal baseado na sua especificação. A exemplo: um motor a álcool não pode usar óleo diesel, por que se assim for, vários problemas surgiram decorrentes da não compatibilidade desse combustível com a mecânica do motor, não é mesmo?.

O motor a álcool foi projetado para usar álcool, logo esse será sua fonte de energia, de movimento, de trabalho. Essa especificação deve ser respeitada.

E quanto a nós seres vivos? Que tipo de combustível nos alimenta, nos dá força e movimento?

É exatamente essa força de vida a qual estamos falando. Uma energia não física, abundante em nossa atmosfera planetária. Contudo, existem vários agentes capazes de modificar demasiadamente o padrão dessa força. Os principais são: nossos pensamentos e sentimentos! Sim, nossos pensamentos e sentimentos! Eles tem a capacidade de qualificar ou desqualificar esse fluído, e o mal maior da humanidade é que nossos equívocos conscienciais, nossas emoções densas, desejos primitivos e materialismo tem moldado em nós mesmos um campo de energia que retém a passagem desse fluxo. Em outras palavras, nossas emoções e pensamentos confusos estão barrando a absorção da força de vida, essencial aos nossos corpos.

Por que ficamos doentes?

Porque essencialmente geramos pensamentos e emoções que densificam a nossa aura corpórea, impedindo que a energia vital nos abasteça. E somos nós que causamos a doença, somos sempre os criadores. Somos nós que modificamos os nosso combustível!
E o motivo pelo qual a dor e doença são sinais que avisam conduta mental emocional desequilibrada é pelo simples fato que os sentimentos e emoções densas são os bloqueadores dessa força de vida. Se estamos ficando doentes é porque bloqueamos energia vital, logo estamos pensando e sentindo vibrações densas.

A lição que uma doença traz é sempre a mesma, os recados são sempre iguais: mude os pensamentos, mude as emoções!

Da mesma forma que os pensamentos e emoções desqualificados formam energias corpóreas densas que travam a passagem da força de vida através de nossos corpos, os pensamentos e emoções elevados tem a capacidade de limpar e sutilizar essas energias, proporcionando livre trânsito da força de vida através de nós.

Daí a importância da oração, da meditação, do equilíbrio emocional, do controle mental. Tudo que pudermos fazer, de forma natural, para encontrar esse equilíbrio, será benéfico curativo e reparador a nossa existência.

Toda força densa, pesada, confusa gerada por nossas condutas, será nociva tanto paro o corpo quanto para alma. Nosso maior desafio nessa vida é esse controle, esse equilíbrio. Mais uma comprovação que a verdadeira evolução espiritual acontece quando aprendemos a equilibrar nossos pensamentos e emoções. Também a constatação que evolução espiritual faz bem a saúde, pois quando nos elevamos, nossos corpos ficam mais saudáveis.

E essa talvez seja uma das explicações mais razoáveis que mostram que a dor e a doença ainda são tão importantes para a evolução humana, porque é o sofrimento que tem levado o homem a refletir sobre seus valores e seus papéis.

No nosso corpo, essa comunicação que ocorre para nosso consciente através da dor é codificado de acordo com o tipo de doença ou sintoma. De forma geral, toda dor ou doença mostra necessidade de mudança, no entanto, a localização, o tipo de doença tem uma linguagem precisa, muitas vezes direta. Hoje em dia, existem inúmeras literaturas que apresentam estudos aprofundados a respeito da linguagem do corpo e sua comunicação direta, que relaciona o tipo de aprendizado ao tipo de doença e localização específica. Por exemplo: se a dor é no dedo médio direito há um ensinamento específico, se é no ouvido esquerdo também há, e assim por diante.

Podemos concluir que qualquer atividade ou ação realizada no sentido de mudar o sentimento ou emoção que a mensagem intrínseca a doença traz, surtirá efeito de cura e bem estar. Essa visão mostra a importância de cultivarmos um estilo de vida voltado para o equilíbrio e a paz interior. Vai além quando demonstra claramente a importância da abordagem holística para tratamento de doenças em geral, e que, principalmente o corpo é apenas o sinalizador que manifesta que algo vai errado. Logo a cura deve ultrapassar a barreira do físico, chegando ao não físico.

Os remédios e as cirurgias da medicina ocidental são realmente importantes e salvam vidas, mas não tem a capacidade de tocar na alma, onde reside a cura profunda, completa. Precisamos de uma vez por todas compreender que o ser humano avançará muito no que tange a sua qualidade de vida, quando aprender a unir medicinas, jamais provocar movimentos que criem competição entre elas, porque são igualmente importantes. Acima de tudo, o homem jamais poderá ser negligente com a sua própria existência, acreditando ilusoriamente, que uma dor, doença ou acontecimento negativo em sua vida seja mera obra do acaso. Enquanto necessitarmos da pedagogia da dor e do sofrimento para nosso aprendizado, precisaremos ficar de olhos bem abertos para qualquer tipo de ocorrência em nossas vidas. Dessa forma nos tornaremos bons alunos e aumentaremos muito as nossas chances de ter saúde integral, em todos os aspectos, físico, mental, emocional e espiritual.

Por: Bruno J. Gimenes

Escritor, pesquisardor, professor, congressista. Autor de 3 Livros. Criador da Fitoenergética, co- Fundador do Luz da Serra.